Mulheres são mais propensas a desenvolver síndrome metabólica


Estudo aponta a necessidade de combater o sedentarismo para prevenir doenças

Síndrome metabólica é o nome dado a um grupo de fatores de risco – incluindo colesterol alto, hipertensão e concentração de gordura na região do abdômen – que atuam em conjunto e aumentam o risco de doenças coronarianas, derrame e diabetes tipo 2. A partir de tal definição, uma equipe de pesquisadores liderados por professores da Oregon State University e daBellarmine University, nos Estados Unidos, decidiu investigar a relação entre exercícios, depressão e esses fatores.

Para o estudo, publicado na versão online do periódico Preventive Medicine, foram acompanhados mais de mil homens e mulheres. A ligação entre a prática regular de exercícios e um menor risco de desenvolver síndrome metabólica foi confirmada. Entretanto, outra descoberta inesperada foi feita: mulheres foram apontadas como mais propensas a desenvolver a disfunção do que os homens.Segundo os autores da pesquisa, isso mostra que osedentarismo é mais comum entre o sexo feminino. Em média, as mulheres do estudo faziam 18 minutos de exercícios por dia, contra 30 minutos dos homens. Os especialistas afirmam que treinar pelo menos meia hora por dia reduz o risco de depressão, colesterol alto e síndrome metabólica.

Os pesquisadores concluíram, portanto, que evitar o tabagismo ou outros maus hábitos não exclui o risco de desenvolver doenças, como o diabetes, se a pessoa for sedentária. Por isso, treinar regularmente deve ser um costume incentivado pelos pais desde a infância.

Siga este plano para começar a praticar exercícios

Quando decide parar de fazer exercícios, dificilmente você faz isso porque desconhece os benefícios do treino. A negativa, normalmente, tem origem em dois fatores: preguiça de treinar ou falta de afinidade com o programa. Uma decisão arriscada, como mostram o espelho, poucos meses após o sedentarismo, e a Federação Mundial de Cardiologia: pessoas que não praticam atividades físicas têm um risco duas vezes maior de sofrer doenças do coração, ter pressão alta e desenvolver diabetes quando comparadas a quem pratica exercícios físicos regularmente.

“Após três meses parado, o corpo já sofre os efeitos do sedentarismo, independente do tempo que você treinou anteriormente”, afirma o personal trainer Adriano Braga Coronato, de São Paulo. Por isso, siga essas dicas para voltar a treinar com segurança.

1. Faça uma avaliação médica
A avaliação médica não é apenas um pré-requisito para que aluno e professor trabalhem em segurança, mas a melhor maneira de descobrir os limites do seu corpo e o exercício ideal para vencê-los. “Também é fundamental realizar uma avaliação física. Por meio dela é possível determinar a porcentagem de gordura corporal do indivíduo e ter uma ideia de seu alongamento e da sua resistência”, afirma o personal trainer Ricardo Custódio, da Companhia Atlethica do Estádio do Morumbi, em São Paulo.

2. Comece por atividades de baixo impacto
Voltar a treinar e já partir para atividades de grande impacto aumenta e muito o risco de lesões. Decidir correr logo no primeiro dia de treino, por exemplo, poderá sobrecarregar os músculos e articulações dos membros inferiores, afirma o médico do esporte Ricardo Nahas, do Centro de Referência em Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho. Ele explica que, em uma caminhada, cerca de 20% do peso corporal fica concentrado nas articulações e essa porcentagem dobra numa corrida. “Por isso, é essencial realizar a readaptação muscular, articular e cardíaca”, diz o médico.

3. Exercício tem que dar prazer
Exercícios físicos não se resumem a musculação e esteira. Por isso, se a academia não te atrai, busque fazer outras atividades, como esportes coletivos, ginástica ou circuito. “Treinar por prazer mantém o aluno motivado e reduz o risco de abandonar o programa”, afirma Ricardo Custódio. O exercício perfeito, de acordo com o personal, é aquele que consegue equilibrar as necessidades do seu corpo com as suas preferências.

4. Respeite seus limites
O condicionamento físico não aparece do dia para a noite. “Pegar muito peso de uma vez ou caminhar uma distância muito longa só vai causar dores nos músculos e nas articulações”, afirma o personal Adriano Braga. Estar disposto a melhorar sempre é fundamental, mas isso deve ser feito de maneira segura. “Do contrário, há risco de uma lesão mais séria e você é obrigado a ficar sem treinar justo quando estava mais engajado”.

Fonte: http://yahoo.minhavida.com.br/saude/materias/15014-mulheres-sao-mais-propensas-a-desenvolver-sindrome-metabolica

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s