Cientistas descobrem um ‘sexto dedo’ na pata dos elefantes


Osso até então inexplicável ajuda os elefantes a equilibrar seu peso colossal

Cientistas britânicos concluíram que um osso até então inexplicável na pata dos elefantes é na verdade um “sexto dedo”, que ajuda os elefantes a equilibrar seu peso colossal.

Segundo um estudo publicado nesta sexta-feira na revista científica Science, análises de fósseis mostram que a estrutura apareceu há cerca de 40 milhões de anos, época em que os elefantes se tornaram maiores e passaram a viver mais na terra.

Por mais de 300 anos, a estrutura representou um enigma para os cientistas, afirmou o coordenador da pesquisa, John Hutchinson, do Royal Veterinary College.

“É um mistério que remonta a 1706, quando os primeiros elefantes foram dissecados por um cirurgião escocês”, disse.

Parte da comunidade científica acreditava que o sexto dedo era um pedaço de cartilagem, cuja função – ou a falta dela – fazia parte dos debates entre os acadêmicos.

“Qualquer um que já tenha estudado a pata de um elefante já se perguntou o que era. Mas concluíam que era estranho e passavam para outra coisa.”

Para estudar a estrutura, a equipe se valeu de uma combinação de técnicas que incluíram tomografias computadorizadas, estudo dos tecidos, dissecação e aplicação de microscopia eletrônica.

Os pesquisadores concluíram que a estrutura era feita de osso – embora bastante irregular e incomum.

Semelhanças entre espécies

Um exame mais detalhado revelou uma forte semelhança com um osso incomum encontrado na pata dianteira dos pandas.

Esse osso – que não é exatamente um osso, mas exerce a função de um – dá apoio aos pandas quando eles se seguram em bambus. Naqueles marsupiais, a estrutura é chamada de “sexto dedo”, ou “polegar dos pandas”.

As toupeiras também possuem um osso que faz as vezes de sexto dedo, ajudando-as a cavar a terra.

Nos elefantes, os maiores mamíferos do planeta, a estrutura ajuda os animais a se levantar.

Diferente dos pandas e toupeiras, que só possuem o “sexto dedo” na sua pata dianteira, os elefantes possuem ossos em suas quatro patas.

Embora tenham mais cara de tronco de árvore, internamente a anatomia da pata de um elefante é bastante complexa.

Seus cinco dedos convencionais apontam na direção de frente do animal, possibilitando-os ficar na ponta dos pés.

Já o “sexto dedo” aponta para trás, provendo um suporte adicional e ajudando os elefantes a equilibrar suas toneladas de peso.

Exemplo evolutivo

Para entender quando e por que esse osso apareceu, os pesquisadores analisaram fosseis de elefantes e fizeram uma comparação.

Segundo o professor Hutchinson, os primeiros elefantes, que apareceram há cerca de 55 milhões de anos, possuíam um tipo de pata bastante distinto dos atuais.

“Parecia ser bastante achatado e não havia muito espaço para estruturas internas”, afirmou.

“A estrutura parece ter evoluído há 40 milhões de anos, e parece ter evoluído à medida que os elefantes ficaram maiores e passaram a viver na terra, com um pata perpendicular (ao chão) e uma postura de pé mais apoiada na ponta.”

Para o cientista, a evolução do “sexto dedo” dos elefantes é “um grande exemplo” de como os mecanismos naturais atuam para ajustar as funções do corpo às necessidades.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/12/111223_elefante_dedo_pu.shtml

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s