Metade dos jovens tem problemas sexuais


Teenage boyfriend and girlfriend kiss.

Um novo estudo canadense mostra que problemas sexuais não afetam apenas as pessoas de meia-idade e os idosos. Adolescentes e jovens adultos têm dificuldades com o sexo também.

Pesquisadores fizeram perguntas sobre a vida sexual de 114 meninos e 144 meninas com idades entre 16 a 21 anos. Através de questionários online, avaliaram seu funcionamento sexual, por exemplo, problemas com ereção, ejaculação ou desejo sexual. O estudo incluiu apenas meninos e meninas que eram sexualmente ativos das 411 pessoas nessa faixa etária que inicialmente responderam à lista de questões.

Os participantes do estudo relataram uma vasta experiência sexual e a maioria eram heterossexuais e estavam em relacionamentos sérios. Metade dos participantes relatou ter um problema sexual e metade dos jovens com algum problema relatou estar significativamente angustiado com o seu problema.

As taxas de problemas sexuais foram semelhantes entre meninos e meninas, de acordo com o estudo publicado em 12 de janeiro na revista “Journal of Sexual Medicine”. “Os problemas sexuais são claramente prevalentes entre os adolescentes e angustiantes para muitos daqueles que os experimentam”, escreveram os pesquisadores em seu artigo.

Os cientistas ainda contaram que a maioria das pesquisas sobre a saúde sexual de adolescentes focam em temas como doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada, contudo pouco se sabe sobre os problemas sexuais do adolescentes. “Os adolescentes precisam receber informações voltadas para a sua faixa etária sobre como lidar com problemas sexuais”, recomendam.

No estudo, o número médio de parceiros com quem os participantes relataram ter tido experiências sexuais desde os 14 anos era de cerca de cinco. A maioria dos adolescentes começaram a ter relações sexuais aos 16 anos.

Entre os meninos, cerca de 53% relataram sintomas que sugerem um problema sexual. Cerca de 16% tinham disfunção erétil leve ou moderada e cerca de 24% tinham baixo desejo sexual. Cerca de 43% das meninas no estudo tinham uma pontuação que sugeria uma disfunção sexual. Baixo desejo sexual e dificuldade em atingir o orgasmo eram os problemas mais comuns entre elas. Queixas sobre orgasmo foram mais comuns entre as meninas de 16 e 17 anos de idade do que as participantes do estudo que tinham entre 20 e 21 anos.

Os pesquisadores observaram que para muitos adultos com disfunção sexual, os problemas começam na adolescência. No entanto, as barreiras culturais e falta de comunicação entre pais e adolescentes provavelmente deixam muitos deles mal informados sobre como identificar e procurar ajuda.

Os autores ainda ponderam que não está claro por que essas altas taxas de problemas sexuais são encontradas entre adolescentes e pessoas com idades entre 20 e 21 anos. Curiosamente, taxas similares são encontradas entre meninos e meninas, enquanto que em estudos com adultos, descobriu-se que apenas as mulheres tinham altas taxas de problemas sexuais.

É possível que a forma como homens e mulheres se socializam desempenhe um papel. “Parece haver um duplo padrão sexual quase universal que dá aos homens uma maior liberdade sexual e direitos de determinação sexual, porém os homens relatam que sofrem uma pressão considerável a partir dessas expectativas para realizar o ato sexual”, acrescentam os pesquisadores.

Sobre tal papel de gênero, os cientistas concluem: “A socialização pode ter um impacto maior sobre os adolescentes do que sobre os adultos”.

Fonte: http://hypescience.com/metade-dos-jovens-tem-problemas-sexuais/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s